As vítimas do contrassenso!

passe-livre-201615Créditos da foto: href=”https://www.facebook.com/roberto.vieira.3344/posts/1223764327653022″ target=”_blank”>https://www.facebook.com/roberto.vieira.3344/posts/1223764327653022
Acesso em: 15 jan 2015

A “nova” estratégia da militância da esquerda para demonizar polícia é mostrar as suas [da militância comunista] “vítimas” na imprensa companheira. A farsa não resiste 5 minutos quando minimamente se investigam as “vítimas” e as condições em que foram “vitimadas”.

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1070084366364539&set=gm.1029905297073786&type=3
Acesso em: 15 jan 2016

Outro exemplo da “nova” farsa:

“Tenho aqui tratado amiúde dos métodos a que recorre o MPL (Movimento Passe Livre), da origem social de seus dirigentes e militantes, da intimidade que eles têm com os pobres e com a pobreza, da sanidade econômica de sua pauta, da tolerância/intolerância com que se põem no debate público, essa coisa toda.” – Reinaldo de Azevedo

Disponível em: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/passe-livre-um-jovem-dos-jardins-sobrenome-uma-falange-dilacerada-e-monteiro-lobato/
Acesso em: 15 jan 2016

Na verdade, não há nada de “novo” nessa estratégia, exceto o colaboracionismo da imprensa comprada pelo Estado. A esquerda sempre procurou por e sempre torce para ter vítimas do mal que ela mesma provoca, numa tentativa de sensibilizar e mobilizar a seu favor as almas cristãs, sensíveis ao sofrimento alheio, devido à própria religião que professam, e ignorantes dos verdadeiros objetivos por trás da baderna marxista.

Do facebook

Olavo de Carvalho (publicado no Facebook em 12 Jan 2016)

“É IMPOSSÍVEL realizar o impeachment sem, no mesmo ato, SALVAR A CLASSE POLÍTICA, à qual são entregues, por esse meio, o protagonismo e os méritos do empreendimento. A esquerda pouco perde com a remoção da Dilma, que já se tornou uma figura incômoda até para o Lula, mas o povo brasileiro perde TUDO ao ver o seu ideal de reconstrução nacional reduzido a mais uma festinha cívica das Incelenças de sempre.

O impeachment é um remédio, sem dúvida, mas é o último, o mais fraco, o mais arriscado e o mais decepcionante dos remédios.

Desde o início tenho afirmado: fazer o impeachment da Dilma é reconhecer a legitimidade do seu mandato, forçando o povo brasileiro a engolir, PELA SEGUNDA VEZ, a farsa da apuração secreta. Isso não é vitória. É, na melhor das hipóteses, um prêmio de consolação muito vagabundo, HUMILHANTE NO MAIS ALTO GRAU.” (Grifo acrescentado)

Análise perfeita, como sempre, mas que alternativa nos resta? Não há lideranças suficientemente fortes para uma outra proposta.

Os intervencionistas têm a “outra” proposta mas o próprio Olavo asseverou que hoje as FFAA são um enigma. De que lado estão? Na realidade, de que lado eles estavam em 1964? E Geisel? De que lado estava?

O fato é que toda essa velharia caduca que governa hoje o Brasil é cria dos militares.

Não! Péssimo como seja, IMHO, o impeachment é a única alternativa para apoio da massa (do povo) que está pronta.

Eu e outros, individualmente, até podemos nos empenhar em desobediência civil, mas sozinhos, o que vamos conseguir além de um tremendo sofrimento para nós e nossas famílias?

Atualizado em 14 jan 2016

Pessoalmente, estou convicto que os nossos inimigos são o PT e sua linha auxiliar, por isso apoio todas as iniciativas em andamento para tirar essa quadrilha do poder. Se for por meio do impeachment – apoio o impeachment, se for por intervenção militar – apoio a intervenção.

O que eu acho que o Brasil precisa não é de brigas na oposição mas união para tirar os narcotraficantes do poder.
RV

O Inimigo

image

Não sei porque, não se fala mais dele. Isto prova como a oposição às esquerdas está despreparada para a guerra política. Gente este indivíduo hoje é o nosso maior obstáculo para emplacar o impeachment da terrorista. Ele está mais sujo do que pau de galinheiro. Razões para desrespeitá-lo é que não faltam. Mas a resistência antipetista prefere se concentrar na terrorista. Ao ataque!